Boeing anuncia a família 737 “MAX”

A Boeing anunciou nesta terça-feira (30/08), a versão “remotorizada” da atual família 737NG.

Com o nome oficial de 737 MAX, a nova família surge para rivalizar com as aeronaves da família A320Neo da Airbus. Equipados com motores Leap-1B da CFM International, as variantes da Boeing foram batizadas de 737 MAX 7, 737 MAX 8 e 737 MAX 9 assemelhando-se atualmente ao 737-700, 737-800 e 737-900ER, respectivamente.

A nova família MAX oferece 7% a menos no custo operacional comparado ao A320Neo. Espera-se que a economia de combustível fique em torno de 16% em comparação o atual A320 e 4% a menos que o futuro A320Neo. Em comparação com a atual família NG, os novos jatos serão de 10% a 12% mais econômicos.

Continue lendo

Boeing 787 recebe certificação da FAA e EASA

Após um ano e nove meses desde seu primeiro voo e com cerca de 4.911 horas de voo em testes, a Boeing finalmente recebe a certificação para o 787 Dreamliner, equipado com motores Rolls Royce Trent 1000.

Em cerimônia realizada  na fábrica da Boeing hoje ( 26/07), em Everett, Washington; Randy Babbitt, administrador da FAA (Agência Federal de Aviação) concedeu a certificação para Mike Carriker, chefe dos pilotos de testes da Boeing e do 787 e para Mike Sinnett, vice-presidente e engenheiro chefe de projetos da Boeing. A “Certificação de Tipo” concedida à Boeing, confirma que a aeronave foi testada e está em complacência com todas as leis federais dos Estados Unidos.

Alem disso, Babbitt emitiu a “Certificação de Produção 700” e entregou-o para John Cornish, vice-presidente do setor de montagem final e entregas do 787 e também para Barb O’Dell vice-presidente de qualidade do 787. O “Certificado de Produção 700” atesta que toda a linha de montagem e sistemas do 787 estão de acordo com as leis americanas e que a aeronave pode ser produzida em escala.

Depois foi a vez de Patrick Goudou, diretor-executivo da EASA (Agência Europeia de Segurança na Aviação), entregar para Dan Mooney, vice-presidente do programa de desenvolvimento do 787-8, o “Certificado de Tipo” europeu.

Continue lendo

Delta Airlines anuncia compra de 100 aeronaves da Boeing

A Delta Airlines confirmou a compra de 100 aeronaves 737-900ER, da Boeing, para substituir sua frota de 757-200, da mesma fabricante, mas que possui idade avançada.

Atualmente a Delta possui uma frota mista de curto alcance, variando desde modelos 737-700 e 737-800 até A320 e A319 da Airbus, esses últimos recebidos após a fusão da companhia com a Northwest Airlines, primeira operadora de aeronaves da Airbus na América do Norte.

A companhia possui cerca de 175 modelos do 757-200 em sua frota atualmente, alem de 16 aeronaves do modelo -300.

A Delta espera decidir até o final desse ano a compra de novas aeronaves com menor capacidade, que será decidida entre a família C-Series, da canadense Bombardier e os E-Jets, da Embraer.

De acordo com o pedido, a Delta receberá todas as aeronaves da Boeing até o final de 2018.

American Airlines anuncia compra de 460 aeronaves

A American Airlines anunciou uma mega compra junto à Boeing e Airbus para a aquisição de 460 aeronaves de corredor único.

A AMR (empresa controladora da American Airlines) confirmou a aquisição de 260 aeronaves da Airbus, sendo 130 da atual família A320, sendo a primeira entrega a partir de 2013, os pedidos terão flexibilidade para mudança entre as versões A319 e A321. A companhia também confirmou interesse em adquirir 130 aeronaves da futura família A320Neo, com a primeira aeronave chegando a partir de 2017.

Já com a Boeing, longa parceira da American Airlines, foi confirmada a compra de 200 aeronaves da família 737NG. Esse pedido será dividido entre a atual geração e caso a Boeing opte por introduzir um modelo redesenhado e com novos motores. A American Airlines aposta que a Boeing irá “re-motorizar” sua atual geração de narrowbodies ao invés de partir para um design novo.

A American, que possui atualmente uma frota de 156 aeronaves 737-800 em operação, espera receber as novas aeronaves deste pedido a partir do começo de 2013.

“A American pretende adquirir 460 aeronaves de corredor único da família 737 da Boeing e A320 da Airbus, com as primeira entregas começando em 2013 e se estendendo até 2022. Essa é a maior encomenda de aeronaves na história da aviação”, disse um porta voz da companhia.

Estima-se que o valor do pedido seja em torno de US$13 bilhões.

Boeing descarta substituto para o 757

A Boeing descartou o desenvolvimento de uma nova aeronave de corredor único com capacidade para mais de 220 passageiros, para substituição do 757. No lugar, a fabricante focará no estudo de um substituto para o 737NG, aumentando a capacidade do atual 737-700 (145 assentos) e 737-800 (180 assentos).

“Muitas pessoas e companhias estavam nos encorajando a desenvolver uma nova aeronave de corredor único, mais larga”, revelou Jim McNerney, presidente da Boeing, descartando a possibilidade.

“O primeiro passo é substituir o produto principal que temos hoje, que poderemos aumentar um pouco sua capacidade”, disse, referindo-se à mudanças no sucessor do 737NG.

Para preencher o espaço entre o novo 737 e as outras aeronaves de grande porte da Boeing, poderia ser lançado uma nova variante do 787, com menor capacidade.

A companhia ainda pretende adotar a opção de re-motorizar o atual 737NG, partindo para o que a Airbus adotou com o A320Neo. Porem, essa possibilidade será escolhida somente se os estudos de uma nova aeronave fracassarem, o que será avaliado em até nove meses.

A nova aeronave, que entraria em serviço em 2019 ou 2020 teria como objetivo a economia de 20% de combustível e custos operacionais. Jim Albaugh, presidente da divisão de jatos comerciais da Boeing, afirmou que um 737 re-motorizado entraria em serviço em 2016 ou 2017 e teria uma economia de 8% no consumo de combustível se comparado ao A320Neo.

Lufthansa é a mais nova cliente do A320Neo e do 777F

A Airbus está comemorando a adesão de mais uma grande companhia com o A320Neo, pois hoje, a diretoria da Lufthansa aprovou a aquisição de 30 aeronaves, em um negócio estimado em $2.8 bilhões.

No pedido a companhia estabelece a compra de 25 A320 e cinco A321, todos com as melhorias do pacote Neo. Com esse pedido, a Lufthansa se estabelece como a maior operadora de aeronaves da Airbus no mundo, com uma frota que passará para 443 aeronaves da fabricante.

“Saudamos a decisão da Lufthansa pelo A320Neo, aeronave que irá melhorar o crescimento na frota da empresa. Desde Dezembro do ano passado, o programa Neo conquistou o mercado e atraiu mais de 330 comprometimentos de diversas companhias”, disse John Leahy, executivo-chefe de operações da Airbus.

A Lufthansa ainda confirmou interesse em adquirir o 777 cargueiro, para sua divisãol, porem, não confirmou nenhum pedido.

Boeing revisa calendário de entregas do 787

A Boeing revisou seu calendário de entregas para  o 787 e espera entregar a primeira aeronave para a All Nippon Airways no final de julho. A fabricante ainda espera entregar cerca de 20 aeronaves neste ano, muitas já estão montadas e aguardando a configuração final da cabine de passageiros.

A primeira aeronave a ser entregue será a de prefixo de testes ZA101, segundo modelo produzido, que terá uma configuração interna de duas classes para viagens de curto e médio alcance pela ANA. A companhia japonesa também receberá seu primeiro 787 para viagens de longo alcance em Agosto. Essa aeronave terá um aumento no peso máximo de decolagem para aproximadamente 228 toneladas (502,500lbs).

Apesar das boas notícias, a Boeing admite que o calendário de entregas está apertado e pode mudar novamente, devido à testes de funcionalidade e confiabilidade e ETOPS.

“Uma vez que tenhamos concluído esses testes, poderemos lançar um calendário definitivo”, disse Scott Fancher vice presidente e gerente do programa 787.

Alem da ANA, as companhias Air India, Japan Airlines (JAL) e China Southern poderão receber o 787 ainda este ano.