Boeing 787 recebe certificação da FAA e EASA

Após um ano e nove meses desde seu primeiro voo e com cerca de 4.911 horas de voo em testes, a Boeing finalmente recebe a certificação para o 787 Dreamliner, equipado com motores Rolls Royce Trent 1000.

Em cerimônia realizada  na fábrica da Boeing hoje ( 26/07), em Everett, Washington; Randy Babbitt, administrador da FAA (Agência Federal de Aviação) concedeu a certificação para Mike Carriker, chefe dos pilotos de testes da Boeing e do 787 e para Mike Sinnett, vice-presidente e engenheiro chefe de projetos da Boeing. A “Certificação de Tipo” concedida à Boeing, confirma que a aeronave foi testada e está em complacência com todas as leis federais dos Estados Unidos.

Alem disso, Babbitt emitiu a “Certificação de Produção 700” e entregou-o para John Cornish, vice-presidente do setor de montagem final e entregas do 787 e também para Barb O’Dell vice-presidente de qualidade do 787. O “Certificado de Produção 700” atesta que toda a linha de montagem e sistemas do 787 estão de acordo com as leis americanas e que a aeronave pode ser produzida em escala.

Depois foi a vez de Patrick Goudou, diretor-executivo da EASA (Agência Europeia de Segurança na Aviação), entregar para Dan Mooney, vice-presidente do programa de desenvolvimento do 787-8, o “Certificado de Tipo” europeu.

Continue lendo

Anúncios

Boeing recebe certificação para o 747-8F

No último dia 19/08, a Boeing anunciou que recebeu a certificação do órgão americano FAA e da européia EASA para o 747-8, versão cargueira.

Após mais de um ano e seis meses desde o primeiro voo em 8 de fevereiro de 2010 e mais de 3,400 horas de testes, a Boeing certifica mais uma aeronave cargueira desde o 777-200F em 2009.

Este não é o fim da campanha de certificação do 747-8, a aeronave foi certificada usando um software antigo, usado no 747-400. Uma certificação completa do software atrasaria a entrada em serviço do jato.

A fabricante foca agora no software atualizado, junto com os testes do 747-8 Intercontinental, versão de passageiros do gigante, que espera receber a certificação até o final do ano.

O primeiro 747-8F será entregue para a Cargolux na primeira semana de Setembro.

Gol Virtual recebe certificação da IVAO

A Gol Virtual, recebeu hoje (22/12) o certificado de homologação da rede IVAO.

Com o certificado, a companhia virtual passa a ser reconhecida e registrada perante todos os membros da rede, alem de acesso a diversas facilidades.

Para alcançar tamanho feito, uma empresa virtual deve cumprir certos requisitos impostos pela rede, tais como:

  • Ter um site 100% operacional.
  • Pelo menos 10 pilotos registrados e em operações na IVAO
  • A companhia não poderá ter nenhum fim lucrativo.
  • Mínimo de cinco horas por semana, online na rede.

“Nada vale mais do que um compromisso, é ele que nos torna o coletivo. Grandes empresas são feitas de coletivismo. Milhares de peças conectadas, uma a uma, todas fundamentais. É assim que nós da GOL Virtual trabalhamos”, revelou o presidente e diretor-executivo da Gol Virtual.

Com o certificado, a companhia abrirá vagas para seleção de novos pilotos. Interessados podem verificar através desse link.

Gol recebe certificado IOSA

logo_gol

A Gol recebeu da IATA a certificação IOSA (Iata Operation Safety Audit), avaliação reconhecida internacionalmente, que capacita a empresa aérea em uma série de padrões operacionais de qualidade e serviço.

Com o certificado, a Gol pode iniciar e expandir acordos de code-share (compartilhar voos) com companhias internacionais que possuam o registro na IOSA.

“A obtenção da IOSA é motivo de grande orgulho para cada um dos 17 mil colaboradores da GOL. Ao longo de 2008, a Companhia realmente se mobilizou e se comprometeu para garantir que todos os procedimentos sejam executados de forma consistente e de acordo com os mais rigorosos requisitos de segurança exigidos no mundo”, disse Constantino de Oliveira Júnior, presidente da Gol.

Em dezembro de 2008, a Gol foi avaliada por consultores da IATA, que passaram por diversas bases da companhia pelo país afim de verificarem os padrões operacionais da empresa.